quarta-feira, 26 de agosto de 2009

instalações abertas

Olá família,

resolvi desvendar um pouquinho das surpresas. Uma vez que uma delas vai demorar imenso tempo a terminar (não sei bem quanto tempo), resolvi abrir a vocês as novas instalações, que ainda estão em manutenção, mas podem registar-se :)

Trata-se de um fórum, e o endereço é http://comunidadeeuacredito.forumeiros.com/index.htm

quando receberem um e-mail a informar que já aceitei o registo (2º e-mail), vão a mensagens no fórum e leiam a que enviei, diz mais ou menos o que têm a fazer, se mesmo assim tiverem dúvidas enviem-me uma mensagem e eu ajudo

segunda-feira, 24 de agosto de 2009

Tay

Desde pequena tenho alergia a determinados tipos de alimentos, produtos como desinfetante, detergentes, sabão em pó, certos sabonetes muito perfumados, também a algumas frutas e outras tantas coisas, como corante amarelo e vermelho.
Então, fiz tratamento para diminuir esse tal probleminha, porém com o uso de corticóides passei de uma criança (aos 6 anos) normal à criança gordinha...
Deste tempo em diante me lembro de mim bem gorducha, o que na escola não me trazia maiores problemas, porém perto dos meus 15 anos resolvi que não queria mais estar "fofa". Com meu primeiro tratamento para emagrecer, com acumpuntura e controle alimentar fui aos 56 kg... E aí fiquei por um tempão, até que aos meus 17 anos, eu estava pesando uns 64 kg (para minha altura de 1,70cm que sempre registrei em academias e onde quer que me medisse, porém hoje minha altura está em 1,66... rsrsrs... O que aconteceu com os outros centímetros??? Sinceramente não sei, e só mais tarde irei saber!!!) quando resolvi por "modismo" entrar na onda das meninas que como eu estavam um pouquinho acima do peso e faziam uso de fórmulas... Meu erro foi este, mas...
Após iniciar com medicamentos para emagrecer por conta própria, não parei mais de engordar, já que para 10 kg emagrecidos engordei 20 kg...
Quando casei, não estava mais tão gorda, havia conseguido baixar para 76 kg, mas depois do nascimento do meu primeiro e segundo filhos engordei bastante...
Nesse tempo todo, não me senti verdadeiramente sofrendo pelo peso, mais pela alergia que ora vinha e ora desaparecia, mas depois do meu primeiro menino a tal voltou com tudo... E o uso da cortisona, deixado de lado por muito tempo voltou a se fazer presente...
Segundo uma endócrino, das tantas nutris e afins que consultei, esse foi um dos motivos que colaboraram enormemente para meu peso excessivo.
Realmente cansei de dietas, e mais dietas, de consultas, restrições...
O que comecei a fazer foi acompanhar um grupo na internet, e depois conheci uma comunidade de uma psicóloga que ficou amiga, e cá estou...
Com meu próprio blog para registrar meus progressos e colaborar com as demais pessoas que quiserem fazer parte do meu "otimismo"...
http://pensandomagroonline.blogspot.com

O QUE VALEU:

Agora estou novamente entrando nos eixos, voltando ao emagrecimento de pouco tempo atrás, mas o que de mais válido encontrei foi a possibilidade de dividir com mais pessoas o mesmo objetivo, através do apoio, do incentivo... E que, com o passar do tempo só me agregou maior conhecimento, dos outros e principalmente de mim mesma...
Sou alto-astral e não me deixo abater por muito tempo com os momentos "não bons" que a vida nos apresenta... Sou positivista, creio em uma Força Superior que nos ajuda, nos ilumina e direciona quando queremos realmente ser melhores... Meu emagrecimento não é "aquela história" de sucesso ainda, nem espero que seja visto de tal forma, mas como uma razão para que outras tantas se apóiem e possam também ser mais felizes... O que importa mesmo pra mim é ter saúde e ser feliz, independente de magra ou gordinha!!!

sábado, 22 de agosto de 2009

novidades

Olá família, vim aqui dizer-vos que estou a tratar de umas surpresas para todos,
e uma delas é que em breve vamos mudar de instalações.
Quero dizer também que neste momento, quem quiser participar não precisa de me enviar um formulário, basta deixar um comentário ou uma mensagem no livro de visitas, e o seu nome vai aparecer na lista dos membros.
Curiosos para as surpresas? hehe

quarta-feira, 19 de agosto de 2009

Gordinha? Nunca mais... ex gordinha


Bom dia família,
Hoje apresento-vos mais uma dos nossos membros. A dona deste sorriso lindo, chama-se Karen, tem 34 anos, vem de Porto Alegre no Brasil, mas vive em Lisboa à 9 anos, casada e com um filho. A Karen contou a sua história, e aqui vai:
Sempre tive problema com a balança desde pequena, nunca fui magra, mas
sempre lutei contra a balança.
Quando engravidei do meu filho, tive uma gravidez de alto risco,
pré-eclampsia, e 2 dias após o parto uma pneumonia e uma infeccao
respiratória, fiquei 14 dias longe do meu filho que mal conhecia, e
internada na CTI.
Após meses continuei lutando para emagrecer, com contínuos fracassos.
Até que neste ano, levei um susto quando tirei fotos minhas. Detestei o
que vi, e Decidi realmente mudar pelo meu filho.

Cada dia se tornava pior, ele corria e eu mal conseguia acompanhá-lo. Ao
tentar me levantar do chão mal conseguia, era 20x pior que um idoso para
levantar-me. Tinha pressão alta e muita dor ciática que ficava dias
deitada sem poder me mexer pois não suportava a dor.

Foi quando navegando pela Internet vi inúmeros casos de emagrecimento ,
mas um me chamou mais atenção, foi o caso da Caroline Schneider, do blog
da Operacao metamorfose.

Me inspirei nela e resolvi começar o processo de emagrecimento. No
inicio tomei remédio para emagrecer, mas como tinha pressão alta, passei
mal depois de 14 dias e larguei. Comecei a tomar o batido apenas da
Herbalife no qual eu substituía refeições e principalmente o jantar.
Passei fome no inicio, ia dormir com o estômago doendo, mas a minha
força de vontade sempre foi maior. Larguei a televisão da minha vida, e
me dediquei a leitura. Li inúmeros livros de auto-ajuda que me abriram
os olhos para tudo. Comecei a mudar o modo que via a vida, parei de
reclamar das pessoas, parei de reclamar da vida, acreditei sempre e
visualizei a cada dia uma vida saudável e feliz.
Comecei pensando que eu tinha 102 kg, e foi em Julho que percebi depois
de vários kgs eliminados que a minha balança estava errada, se fosse
noutra ocasião tinha jogado tudo por alto. Mas não descobri daí que no
inicio estava com 116 kg, o meu maior peso ou quase igual, quando eu
estava grávida de 9 meses e com obesidade grau II.

Emagreci com apoio de pessoas "virtuais", amizades virtuais, no qual tem
toda importância e gratidão por todo meu sucesso .
Encontrei forças e determinação que nem eu sabia que existiam em mim, e
cada dia meus pensamentos sempre eram cada vez mais positivos e que isso
ajudava-me a lutar contra a obesidade.
Sofri muito com a discriminação principalmente a procura de emprego.
Hoje em dia estou a procura de emprego e tenho "trauma" em pensar que
muitas pessoas são postas de lado não pela sua capacidade e experiência
mas sim pelo seu aspecto exterior.
Acordei para a vida, e a vida sorriu para mim a cada dia ficava cada vez
mais claro os meus objetivos, pedia, acreditava e recebia e o universo
conspira até hoje a meu favor.... hoje em todos os aspectos da minha
vida mudaram e para melhor.
Aprendi a me valorizar.

Eu estou em vias de ficar cada vez mais satisfeita com meu corpo....é
tão bom saber que todo meu processo me dá todos os dias cada vez mais
provas de que vale mesmo a pena, é fantástico o poder me mexer de um
lado pro outro, andar de saltos muitoooo altos durante um dia inteiro e
me sentir como uma pluma.
Adoro quando alguém não me vê a algum tempo e se espanta com a minha
mudança, é todo um esforço reconhecido e que lutar vale muito a pena.

Estou muito contente por saber que algumas pessoas que me visitam, tiram
algum proveito daquilo que tento passar da minha experiência.

Decidi que queria esse tipo de vida para mim, embarquei no blogue e com
ajuda do mundo virtual emagreço e sou feliz.
É reconfortante o carinho que recebo, saber que o que sei e o que
aprendo todos os dias, possa ajudar ou dar apoio para alguma pessoa.
Adoro saber que o meu sucesso serve de inspiração, e que me faz a cada
dia estar mais próxima da minha vitória pessoal.


Fico muito entusiasmada só de imaginar, quando atingir por completo
todos meus objetivos. É uma sensação tão boa sentir-me amada, eu gostar
mais de mim a cada dia que passa....o bem estar é essencial para nossa
vida ser completa.


Aprendi a ter disciplina...
Aprendi comer em 3 em 3horas...
Aprendi comer extremamente devagar...
Aprendi a tomar muita água...
Aprendi a não beber nada durante as refeições...
Aprendi a dar valor a fruta, o valor de um nutriente, o prazer de um
alimento novo...
Aprendi a comer essencialmente aquilo q meu corpo necessita...
Aprendi a ter auto-controle...
Entendi e aprendi que o estágio da zanga e da raiva, posso controlar
tendo automaticamente pensamentos positivos... não passando ao estágio
de desconforto , culpa e depressão e me enterrando e abraçando a
compulsão alimentar...
Aprendi a manter um equilibrio...
Aprendi a Lei da compensação...
Aprendi o que é uma refeição equilibrada...hoje em dia é raro deixar de
comer a fruta na hora do almoço...
Entendi que sempre inventava desculpas para comer...uma delas era dizer
q comia porque meu marido comia.
Aprendi a ter vergonha na cara...
Aprendi a ser feliz !!!
Aprendi a diferença óbvia de me nutrir e de me "entupir" :)
Aprendi a ver as qualidades nas pessoas invés de ficar reclamando
delas...
Aprendi o valor de uma vida saudável !!!
Aprendi, entendi e compreendi q todos as minhas tentativas anteriores
foram frustradas por culpa somente minha porque voltava a comer por
compulsão...e hoje tenho a certeza que exercícios físicos são a chave
essencial para qualquer emagrecimento ou manutenção.
Aprendi muitos valores....hoje dou importância a pequenas coisas q antes
passavam desapercebidas...a agradecer e reconhecer ....

Entendi e aprendi que pensamentos positivos atraem coisas,
circunstâncias, pessoas positivas e que para que meus desejos se
realizem preciso acreditar, e permitir que eles aconteçam....e que o
universo conspira sempre a nosso favor , e que pensamentos tornam-se
realidade, somos nós o criador da nossa realidade ..e que nada é
impossivel para quem acredita.

Hoje estou a 14,5 kg da minha meta final e a 6 kg de um peso normal e
saudável, sinto-me feliz e tento passar a todas as pessoas que sofrem de
obesidade que tudo é possível e que basta acreditar.

Meu próximo passo é arrumar um emprego e me sentir realizada
profissionalmente ;)
Mas o segredo é ser feliz sempre , e acreditar nos nossos sonhos.
Nada é impossível para quem acredita.

segunda-feira, 17 de agosto de 2009

1º actividade



Olá familia,


obrigada a todos os que estão a aderir à comunidade.

Quem quiser participar é muito bem-vindo.


E agora que já somos uns poucos, lanço a primeira actividade, esta é simples e muito fácil.


Trata-se de apresentar um objecto importante e explicar o porquê. Mas vamos por partes.
Primeiro quero ver aqui as inscrições, quem quiser participar na actividade tem de dizer no comentário que está inscrito.
Inscrições abertas de 17/08 a 01/09

domingo, 16 de agosto de 2009

Quilinhos a mais...

Olá família,


Bom, antes de começar a falar da história da Ana Rita, quero dizer-vos umas coisinhas.

A primeira, quero agradecer a adesão de todos nesta comunidade, em poucos dias já somos 14, mas vamos aumentar a lista de membros que está aqui na coluna de perfil do blog?
Tenho umas actividades em mente, mas é necessário fazer esta família crescer. Incentivem os vossos amigos a participar.

Na comunidade, também estão a participar pessoas sem pronblemas, que querem apenas prestar apoio. Inscrevam-se.

Tenho vindo a fazer umas mudanças aqui no blog. Uma delas, é a sondagem no ínicio da coluna de perfil. Votem por favor.

Coloquei também uma área de campanhas. E o primeiro que fiz é de apelo aos animais, para não os abamdonar.

E logo abaixo tem um link com o nome «assine o livro de visitas» cliquem e deixem as vossas mensagens.

Lembrem-se de que todos os problemas são válidos.

Vamos então conhecer a Ana Rita, tem 21 anos reside em Faro e é estudante. Ela contou-me a sua história e aqui vai:

Olá, o meu nome é Rita e tenho 21 anos. Os meus problemas com o peso começaram bem cedo, desde que me conheço como gente. Quando era pequena era na casa da minha avó que ficava a maior parte do dia e já se sabe que normalmente as avós têm a mania de nos empanturrar. Toda a comidinha dela aliada à genética familiar fez com que eu fosse bastante gordinha desde muito nova. Já se sabe como as crianças conseguem ser crueis e eu sofri do tal buling que só agora se fala. Era chamada de gorda vezes e vezes sem conta, os rapazes não se aproximavam, e uma certa vez até me cuspiram NA CARA simplesmente porque eu não me enquadrava no esteriotipo de beleza. Todos estes momentos foram marcando a minha personalidade e tornei-me muito pouco à vontade com o meu corpo, com a auto-estima em baixo. Quando chegou a altura dos namoricos claro que eu era vista como a amiga gorda sem qualquer interesse. Tinha cerca de 14 anos quando a situação mudou. Nessa altura as modificações corporais deram-se. Fiquei mais alta e com formas de mulher. Num verão consegui sentir-me bem com o meu corpo, tinha emagrecido. Apartir daí os rapazes já ohavam para mim, até aqueles que antes me tinha cuspido e chamado nomes já não me reconheciam. É impressionante como o exterior importanta tanto. O meu interior continuou o mesmo mas bastou emagrecer para todos darem por mim... E eu perguntava-me será um sentimento verdadeiro?Infelizmente voltei a engordar e cheguei a um peso um pouco alarmante. A minha roupa simplesmente não me servia e começei a andar na rua de cabeça baixa por me sentir inferior aos outros. Tinha de mudar novamente a situação, tinha de voltar a emagrecer! Segui numa dieta o verão passado onde perdi cerca de 10 kg. Voltei a sentir-me bem comigo mesma! Foi um esforço muito grande é verdade... Costumo compara-lo com a tentativa de abdicar de outro vicio qualquer como o tabaco, a verdade é que eu era viciada em fritos, tudo o que tivesse gordura e deixar esses habitos custou e muito mas VALEU A PENA! Neste momento tenho 55 kg com 1.56. Ainda há quem me diga para emagrecer mas.... Eu sinto-me bem assim, porquê mudar pelos outros? Gostem de mim como eu sou! Não mudo por vocês! O importante é mesmo isso - sentirmo-nos bem connosco próprios e não ceder a pressões para ser bonita para os outros! Sentes-te bem? Optimo é um passo dado em direcção ao sucesso! Acredito que uma pessoa que se sinta bem na sua pele seja magrissima ou gordinha consegue sucesso muito mais facilmente na sua vida porque uma boa auto-estima é algo verdadeiramente importante! Por isso, tentes de gostar de voces mesmas, têm defeitos? Isso sei eu! Não existe ninguem perfeito à face da Terra! Lidem com isso assumam-se na vossa pele! E o mais importante de tudo SEJAM FELIZES

sexta-feira, 14 de agosto de 2009

caso de sucesso


Olá família,





hoje, para primeira história desta comunidade. Apresento-vos um dos nossos membros, que partilhou a sua história, que é de sucesso!





Chama-se Anabela, tem 36 anos, é residente em Lisboa e a sua profissão é de empregada doméstica.


Conheci-a através do prograna «as tardes da Júlia» em que o tema era a obesidade, e estava lá uma jovem de 17 anos, obesa à espera de uma cirurgia. A Anabela telefonou para prestar apoio à Soraia e deixou o seu blog.





Fiz uma entrevista à Anabela para vos mostrar que ela acredita nela e consegue os seus objectivos. Fiquem agora a conhecer a entrevista.







1. Com que idade começou a ter os problemas de obesidade?

Sempre me conheci grandona.
Na escola, era sempre a miúda mais alta e mais gorducha.
Mas a obesidade mais grave chegou ali por volta dos 20 anos.


2. Como se sentia consigo própria e perante o olhar das outras pessoas?

Durante a idade escolar, nunca me senti mal. Vivi a minha adolescência com tranquilidade.
Na idade adulta, e quando cheguei aos três dígitos senti-me mal comigo e com os outros.
A minha saúde foi sendo menor. Tive vários problemas de hipertensão, taquicardia, aumento da ansiedade, crises depressivas e no meu maior peso, comecei a ter sintomas de uma moderada incontinência urinária.
Conviver com o olhar das outras pessoas não era fácil, mas procurei abstrair-me disso até um dia...
Ficava magoada mas não ripostava olhares nem comentários, e para aligeirar ainda era capaz de dizer uma piada sobre mim própria para tentar demonstrar aos outros que convivia muito bem com a minha obesidade, o que era mentira.
Sofria imenso por dentro.


3. Acha que foi vitima de preconceito e de alguma forma sofreu com isso?

Fui e todos os obesos que saiam do padrão "socialmente bonitinho, bem feitinho" são vítimas de preconceito e postos à margem.
As pessoas gostam de olhar com maldade e apontar defeitos esquecendo-se que ao apontar um dedo, 4 dedos estão virados pra elas.
Quando fiquei desempregada, não me davam trabalho. Ou porque a vaga já estava preenchida (mas continuavam a atender as entrevistas), ou a farda de serviço não me servia, ou porque não me podiam dar trabalho porque procuravam alguém com outra apresentação, e eu não ia nem suja nem mal vestida... Ou terem-me dito que o meu curriculo era o ideal para as funções que procuravam , porque eu tinha uma larga experiência de 15 anos na área de atendimento ao público ( cessou essa actividade porque a firma fechou) , mas não podiam escolher-me porque eu tinha "uma forte presença" !


4. Quais as dificuldades que encontrava no seu dia-a-dia?

Cansava-me cada vez mais. Tinha imensas dores na coluna, nos joelhos. Isolava-me muito em casa. Não conseguia cruzar as pernas, por exemplo. Não encontrava roupa ao meu gosto e também encontrar roupa grande era tarefa quase impossível.


5. Que achava e sentia cada vez que se olhava no espelho?

Sentia-me mal, mas procurava tirar partido do que era positivo na minha imagem, mas cheguei ao ponto de achar que na minha imagem, não havia nada de agradável e aí olhar ao espelho, era somente quando necessário e quase que "obrigatório". Evitava ao máximo o espelho...


6. Inferiorizava-se a si mesma?

Sim, mas não o suficiente para mudar. Preferia viver escondida no "meu mundo", porque ironicamente me sentia protegida.


7. Tentou dietas saudáveis e dietas "malucas" para combater o seu problema?

Dietas malucas de automedicação, tentei muitas, nenhuma com sucesso visível . Essas dietas mágicas , eu não cumpria mais que 2 ou 3 meses. Os resultados apareciam, mas não conseguia viver dentro dum regime muito restricto na alimentação, e acho que ninguém consegue.
O caminho está na RA, reeducação alimentar, e não nas dietas milimétricas, de X diâmetro para a batara cozida, Y de gramas para o bife, e não sei quantas colheres de arroz.
Acho que o caminho não está aí, na minúcia, no exagero...está na determinação, no empenho e na ajuda especializada.


8. Sentia que não gostava de si?

Completamente. Sentia-me falhar e um tanto perdida...


9. Alguma vez tento automutilar-se para diminuir o sofrimento? Se sim, como?

Não, partindo que se fala em mutilação física que provoca dor, essa não!
Mas "mutilava-me" pela comida, escondia-me nela...
"mutilava-me" ao isolar-me e eu gostava ( e gosto) imenso de conversar, de sair...as pessoas convidavam-me para sair, para ir ao cinema, ao café, e eu castigava-me, nesse isolamento sentido.



10. Quanto é que pesava quando decidiu emagrecer?

136.6 kgs


11. Chegou a pesar mais que isso?

Não. Esse peso foi o fim da linha...



12. O que a fez ter vontade de emagrecer?

Meter um "Basta!!" nessa vida de comer, comer, comer...que tanto sofrimento me causou e que me estava a limitar tanto!
Um dia, após mais uma entrevista de trabalho, a do sr que disse que eu tinha "uma forte presença", liguei o televisor, lavada em lágrimas por mais uma vez ter falhado, com um tabuleiro cheio de comida do mais calórico que havia cá por casa, ouvi "As tardes da Júlia", 11 Fev/08, o tema era a obesidade, "Ja fomos muito gordos"
Pensei desligar, mas fiquei a ouvir e a pessoa que me motivou a emagrecer e me falou ao coração e à razão, foi a Gina Geadas.
Pela primeira vez, ouvia alguém que assumia o seu passado de obesa mórbida e confessava tantos erros alimentares como eu fazia...falava da descriminação que sofrera e que eu estava a passar...do isolamento...e as suas palavras finais para todos os obesos que se sentiam como eu, no fim da linha, foram decisivas!
Coloquei o tabuleiro de parte, pesquisei na net o blog da Gina e procurei ajuda médica e fui em frente!
Afinal, se ela tinha sido capaz de perder 70 kgs que estava eu a fazer sentada num canto a comer sem fazer nada por mim???
Ora se ela foi capaz...eu também sou!


13. Achava que mudar era uma necessidade?

A partir do momento que referi na pergunta anterior, mudar para mim era tão importante como respirar!
Mudar era urgente!


14. Fez alguma cirurgia para ajudar no emagrecimento?

Não.
Não optei pelo caminho mais curto.



15. Qual era a coisa que mais gostava de comer e teve de deixar a muito custo para a perda de peso?

Não deixei de comer nada que gostasse.
Passei foi a comer com regras.
Não dispenso o meu doce semanal.
Como de tudo evito é sobrecargas de farináceos, doces, e evito fritos.
Abuso de frutas e legumes.


16. Quantos quilos conseguiu perder e em quanto tempo?

Em 18 meses, eliminei cerca de 38.5 kgs


17. Hoje em dia como se sente?

Sinto-me muito bem!
Mas ainda tenho um caminho para percorrer.
A luta contra a obesidade é ganha dia após dia.


18. Acha que valeu e vale a pena todo este esforço?

Vale sempre a pena todos os esforços por nós!
Por nós, por uma qualidade de vida maior, pela nossa saúde, pelo nosso sorriso, vale tudo a pena!


19. Sente que todo o peso que tinha marcou-a de alguma forma a nível de saúde?

Todos os sintomas depressivos e cardíacos foram embora com os kilos eliminados.
No entanto, viver aprisionada num corpo pesado no patamar da obesidade mórbida, deixa marcas a nível da coluna, por exemplo...aqueles problemas a nível das vertebras estão cá, mas vivo perfeitamente bem com eles, não vivia bem era com 136.6 kgs!!!!


20. Qual é o peso que acha adequado a si?

O nutricionista falou-me em 70 kgs quando iniciei a minha RA.
No entanto, há uns meses, e como faço desde Outubro/08 exercício físico supervisionado, chegámos à conclusão que 80 kgs é capaz de me "ficarem melhor".


21. Acha que está longe da meta?

Não...eu visito a meta todos os dias.
É importante acreditar que somos capazes, e como eu acredito que sou capaz, acho que não à distância que me assuste nem obstáculo que eu não supere!


22. Que aconselha, a todas as Anabelas?

Há muitas Anabelas e Anabelos por aí.
O primeiro passo é encarar a obesidade de frente.
É um problema superável , não é impossível de ultrapassar!
O segredo é acreditar em nós mesmos.
É mentalizarmo-nos que essa mudança é necessária e urgente.
Se não gostam da imagem que o espelho vos devolve, façam tudo para mudar!
Não desistam! Não desistam de nada na vida, não desistam dos sonhos e principalmente, não desistam de vocês!
Mudar é possível
Se eu consigo, vocês também!
ACREDITEM!









Aqui está a Anabela, depois de perder vários quilos. Quanto a esta entrevista admiro-me como em pleno século XXI a mentalidade das pessoas continue tão fechada. Não é possivel que Portugal continue tão preconteituoso. Mas a Anabela, é a prova de que se acreditar-mos é possivel. Não dêm valor a olhares, risos e comentários alheios. Depositem esse valor em vocês e só em vocês e vão conseguir. A ti, Anabela, desejo-te toda a força do mundo, e obrigada pela participação.